A QUESTÃO AMBIENTAL À LUZ DE TIETA

Autores/as

  • Barbara Pelacani Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • BRUNA E. F. de ARAÚJO Licencianda Plena em Geografia – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro/Instituto Multidisciplinar (UFRRJ/IM)
  • FERNANDA M. LOURENÇO Licencianda Plena em Geografia – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro/Instituto Multidisciplinar (UFRRJ/IM)
  • CAROLINA A. G. de OLIVEIRA Doutoranda em Educação, com ênfase em Educação Ambiental – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)
  • SAMIRA L. da COSTA Profª da Pós-Graduação de Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Celso Sánchez Prof da Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Resumen

O presente trabalho tem por objetivo refletir sobre o encontro da educação ambiental com a questão de gênero por intermédio da Literatura. Realizamos a análise da obra “Tieta do Agreste” de Jorge Amado com o objetivo de observar o posicionamento político das mulheres nos movimentos comunitários diante dos conflitos socioambientais. Como são as mulheres as mais afetadas pela crise ambiental é necessária uma educação que trabalhe no caminho oposto da opressão dos sujeitos. Destaca-se a centralidade das mulheres diante de posicionamentos político e pedagógicos em defesa da vida na Educação Ambiental que trazem importantes conexões com o campo da ecologia política. Assim, ressalta-se o enfoque para a questão de gênero como uma abordagem que permite entrelaçamento de tais dimensões. Tal visão complexa é o que nos ensina a Luz de Tieta.

Publicado

2021-02-17

Número

Sección

Artículos de revisión y reflexión